domingo, 29 de janeiro de 2012

Assentamento Pitombeira recebeu visita de joalheiro para avaliação do potencial mineral da região

O leitor que não conhece Buriti dos Montes pode achar loucura apostar na mineração como fonte de renda e emprego para mão de obra local, no entanto, é só dar uma rápida voltinha pelas cercanias da comunidade Santana e Pitombeira para mudar de idéia rapidamente. É bonito de ver cristais de rocha aflorar por todos os lados. Mais adiante, na comunidade Tranqueiras, são opalas que abundam fornecidas pela mãe terra.
Sede do Ass. Pitombeira
Localidade Santana
Não é de estranhar que o assentamento tenha recebido a atenção de algumas instituições afins. O SEBRAE, em conjunto com o governo do estado e a prefeitura municipal de Buriti dos Montes fomentaram a criação de uma cooperativa de mineradores entre os assentados, além de legalizar cerca de 1800 hectares passiveis de exploração sustentável, através dos Arranjos Produtivos Locais – APL, juntamente com o município de Pedro II. Infelizmente, pouco foi feito para a estruturação da unidade de produção pela falta da liberação de recursos por parte do governo federal, a boa notícia é que agora em 2012 foi liberada a verba para investimento.

A cooperativa conta atualmente com 25 cooperativados, e estão aptos a transformar a dura realidade que cerca a vida destes trabalhadores rurais que dependem das condições climáticas cada vez mais desfavoráveis para a sua subsistência. 

Pensando em contribuir para alavancar o seu desenvolvimento, a administração municipal convidou o joalheiro Juscelino Souza, que é da Cidade de Pedro II e possuidor de larga experiência no ramo, para avaliar o potencial dos vizinhos buritienses. 

Segundo as primeiras impressões de Juscelino Souza, que veio acompanhado do comprador de jóias alemão Jorge Alen, há uma grande possibilidade de desenvolvimento econômico e social por meio da montagem de uma oficina de lapidação e da capacitação dos cooperados.

Há outra particularidade que pesa positivamente para o sucesso do projeto. No terceiro agrupamento urbano do assentamento, o São João, encontramos uma comunidade que produz um excelente artesanato tendo como insumo básico a palha da carnaúba, podendo com isso responder pela demanda de embalagens ecológicas para a comercialização das jóias produzidas pela comunidade Santana.

De certo, devemos considerar ser o comércio solidário e consciente o maior nicho a ser buscado para a comercialização dos produtos formatados. Na visão do renomado joalheiro, a ideia não é o enriquecimento individual, abrupto, mais sim a elevação gradual da qualidade de vida de todos os assentados. Como se diz, temos que aproveitar o cavalo selado, todos os envolvidos estão afeitos à proposta, inclusive o superintendente do INCRA, responsável direto pelo assentamento, Francisco Limma, está sensibilizado e pretende dar todo o apoio à proposta. É assim, quando todos desejam juntos, o sonho se transforma em realidade.

Benedito Rubens Luna de Azevedo
Coordenador Municipal de Turismo e Meio Ambiente de Buriti dos Montes

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário (buritidosmontes.com)